Paraná, | Visitantes: 4435123 | Visitantes On-line: 59 | Home | Contato
NOTÍCIAS | ESPAÇO CULTURAL | TV SINJUTRA | CARREIRA | CONVÊNIOS | PERMUTAS | LUTAFENAJUFE | CONTAS | FÓRUM | FOTOS | CARTILHA DA GREVE
   
 
 

"Sinjutra Pratica Responsabilidade Social e Sustentabilidade"
 

   

» Servidores preparam atos para 19 e 20 de junho pela revisão anual de salários e fim da EC 95


Fórum dos Servidores confirma realização de atos no dia 19 de junho em Brasília, véspera de julgamento no STF sobre revisão anual de salários

A política do governo federal e da maioria das administrações estaduais e municipais para a questão salarial do funcionalismo parece já estar traçada: amparada nos 'ajustes fiscais', na Emenda Constitucional 95 e em projetos correlatos nos demais âmbitos da federação, pavimenta o caminho do congelamento de salários e do reajuste zero.   

Na única vez até aqui em que recebeu dirigentes sindicais do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais, os representantes do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão anteciparam a posição do governo de que não havia espaço para reivindicações que envolvessem aumento orçamentário.  

As despesas com a intervenção militar no Rio de Janeiro e até as epidemias de dengue foram mencionadas como alguns dos motivos para isso. Mas a razão central dessa afirmação, ficou evidente, repousa na emenda constitucional aprovada pela Câmara dos Deputados em 29 de novembro de 2016, em meio a protestos e violenta repressão em Brasília, que restringe a elevação das despesas orçamentárias até 2036 a no máximo a atualização da defasagem monetária pelo índice oficial da inflação.  

É diante desse cenário que os servidores públicos federais, que constroem campanha salarial unificada, trabalham para puxar uma mobilização nacional pelo direito à revisão anual dos salários. Para o dia 19 de junho, o Fonasefe, o fórum que reúne as principais entidades sindicais nacionais da categoria, está convocando um dia de mobilizações em Brasília, que terá como foco a defesa dos serviços públicos, a revogação da Emenda Constitucional 95 e a data-base do funcionalismo. A mobilização está sendo articulada conjuntamente com o Fonacate, Fórum Nacional Permanente de carreiras Típicas de Estado. A Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário federal e MPU (Fenajufe) participa e os sindicatos estaduais da categoria estão sendo convocados a ajudar a construir o protesto, enviando representações à capital federal.    

Dois momentos estão previstos para as manifestações do dia 19: às 14 horas, um ato em frente ao Ministério do Planejamento, no Bloco K, pressionará pela abertura de negociações e defenderá os serviços públicos e a revogação da EC 95. Mais à tarde, às 17 horas, o ato acontecerá em frente ao Supremo Tribunal Federal, cuja pauta do dia seguinte prevê a retomada do julgamento de ação referente à revisão salarial anual. Trata-se de uma ação movida por servidores estaduais de São Paulo que cobra o pagamento de indenização por omissão do chefe do Executivo em encaminhar projeto de revisão ao Legislativo. A decisão pode ter repercussão geral sobre outras ações.  

Para o dia 20, a reunião da coordenação do Fórum dos Servidores indicou a realização de atos com vigília em frente aos tribunais federais ou da Justiça Federal nas capitais dos estados. A mobilização em torno do julgamento no STF ocorre concomitantemente à pressão sobre senadores pela aprovação do PLS 228/2018.

O projeto de iniciativa popular tipifica como crime de responsabilidade o chefe do poder executivo que desrespeitar a Constituição Federal e não encaminhar a proposta de revisão anual de salários ao legislativo. Representantes do Fonasefe, incluindo a Fenajufe, estiveram essa semana com o relator do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, senador Hélio José (Pros-DF), para defender o projeto.  

Até o dia 20 de junho, as entidades sindicais devem reforçar a busca de contato com os ministros do STF que ainda não votaram na ação da indenização pela omissão na data-base. Tanto a iniciativa no Supremo, a favor de um julgamento que ajude a tornar efetiva a decisão que reconhece o direito à revisão anual, quanto a defesa do projeto no Senado integram a luta geral pela reposição das perdas e pelo respeito à data-base. Estima-se que essa demanda envolva 11 milhões de servidores nas três esferas de poder. Unidos e mobilizados, seriam imbatíveis. “A busca por um direito básico e fundamental como o direito à revisão salarial e à data-base é dever de todo trabalhador, seja dos serviços públicos ou da iniciativa privada”, afirma Adilson Rodrigues, que integra a coordenação-geral da Fenajufe e participou das últimas reuniões do Fonasefe.  

Construir essa mobilização e pautar a revisão anual ao lado da defesa da revogação da Emenda Constitucional 95 é o grande desafio do funcionalismo - em meio a um cenário de crise, mas também de governo federal enfraquecido, rejeitado e desarticulado. Características evidentes hoje nestes últimos sete meses de Michel Temer na Presidência, mas imprevisíveis quanto ao próximo governo, a ser eleito em outubro, o que reforça ainda mais o chamado à mobilização e à participação nos atos.    

   

Hélcio Duarte Filho 

LutaFenajufe-Notícias

15/06/2018
  
 
   
 
Buscar
 
 
E-Mail:
Senha:
Lembrar Senha
 
 
 
 
E-mail:
Envie sua carta...
 
TV Sinjutra
Responsabilidade Social